Google
 

Computador composto de células vivas

Bookmark e Compartilhe

“Computadores vivos poderão realizar tarefas que os computadores comuns não conseguem”, afirma o cientista molecular Len Adleman, da University of Southern California. “Por exemplo, é difícil imaginar que um computador convencional possa ser colocado em células de uma bactéria”.

Mas, os cientistas construíram um computador a partir de um fragmento circular de DNA que foi inserido na célula de uma bactéria viva. Depois o microrganismo foi liberado para resolver problemas matemáticos complexos.

As células conseguem sinalizar a presença ou a ausência de duas drogas em seu ambiente - a teophilina e a tetraciclina (usada para fazer antibióticos) - ativando um gene que produz uma proteína fluorescente.

Os desenvolvedores do computador, Maung Nyan Win e Christina D. Smolke, programaram funções lógicas bem simples. Uma célula de levedura pode indicar quando as duas drogas estão presentes, quando apenas uma está presente e quando não há presença no ambiente à que foi exposta.

Este é o primeiro trabalho utilizando células vivas para solucionar problemas específicos de ciência da computação

A descoberta é uma conquista que representa um passo para o desenvolvimento de ferramentas celulares programáveis.

Para ajudar a descobrir tumores malignos em uma pessoa com bastante antecedência, entregar remédios específicos para determinado órgão sem prejudicar os outros e, até mesmo, ajudar na degradação de poluentes.

Ouça o texto

2 comentarios:

informlegal disse...

De fato de uma aurora a outra, surgem novas descobertas parece que estamos caminhando rápido nesse sentido,com essa nova tecnologia cria-se uma expectativa de confiança na nossa ciência, em breve estaremos vivenciando grandes momentos de sonhos antes perdidos e apagados.Uma excelente matéria tenha um bom domingo e parabéns pelo seu dia.

FHAZ disse...

Gilberto
Estamos cada vez mais cibernéticos.
Uma ótima semana
obrigada
bjs

Imprimir
Related Posts with Thumbnails